SEGUNDO TRIMESTRE

Todo mundo já sabe.
“Se você for como eu, vai engordar muito”
“Se você for como eu, não vai engordar”
“Faz parto normal, dói na hora e depois não sente nada”
“Faz cesárea, não dói nada e só sente depois”
“É menino, você tem cara de mãe de menino”
“É menina, Murilo tem cara de pai de menina”
14 semanas e estou esperando a magia acontecer. Já comi todas mexericas, tomates, limões e bolachas de água e sal do mundo. Não era para os enjoos terem passado? E o cansaço acabado? A barriga aparecido? E por que eu tenho que ficar cuspindo o tempo todo feito uma lhama?
Ultrassom morfológico. Parece ser menino. Já tem mão, pé, dedos, nariz. Um coração que bate disparado. Tudo isso aqui dentro e não sinto nada além desse mal-estar constante.
Ainda tenho medo. Mas está tudo bem.
Bolinhas estouram na barriga uma tarde. Penso que são gases. Repete no dia seguinte. Deve ser o bebê.
Acordei um dia e não tinha mais enjoo. Então é assim mesmo que funciona.
Segundo ultrassom. Parece ser menina.
Hora de pensar no parto. A médica me pergunta se já pensei em parto domiciliar ou se quero mesmo no hospital.
Claro que vai ser no hospital, se eu pedir anestesia jurem por Deus que vocês vão dar, não ligo se precisar de ocitocina, quanto mais médico melhor, enfermeira também, e balão de oxigênio, dá um medo que nasça roxo.
Ela me olha tranquila e só diz “Tá certo, começamos em casa e depois a gente vê”.
Fiz o Murilo jurar que se eu pedisse para ir para o hospital e tomar anestesia, todo mundo iria sem me questionar. Ele me olhou com a mesma cara da médica.
Terceiro ultrassom. É menina mesmo. É Aurora, sempre foi, só faltava se materializar.
Visita ao hospital, mas poderia ser visita a um hotel cinco estrelas. Tenho que escolher entre foto, vídeo e transmissão online do parto. Se quero só uma cama ou se quero uma suíte com varanda e máquina da Nespresso. Sei que ganha touca rosa e bordada mas não sei se tem chuveiro de água quente na sala. Vejo os bebês no berçário mamando um peito invisível, longe da mãe.
Saio de lá decidida.
“Vai nascer em casa”
Murilo e a médica trocam olhares cúmplices.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s